GDOOR + PIX, tudo que você precisa saber!

Vamos falar sobre o PIX, o novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central. Entenda como funcionará, as vantagens para você e sua empresa, além da praticidade que a GDOOR também agregará na utilização desta nova ferramenta revolucionária para pagamentos e recebimentos.

A evolução das formas de pagamento

Inicialmente tínhamos a opção DOC (Documento de Ordem de Crédito), o qual pode ter um valor máximo de R$ 4.999,99 e leva um dia útil para ser processado (podendo acrescer mais um dia se a transação for efetuada após as 22h ou em finais de semana).

Em 2002 o Banco Central disponibilizou a TED (Transferência Eletrônica Disponível), que inicialmente tinha o valor mínimo de R$ 5.000,00 para transferências, o qual foi gradualmente sendo diminuído, mas somente no ano de 2016 deixou de existir.

Hoje é possível efetuar uma TED de qualquer valor, além disso, ela trouxe mais agilidade nas transações, compensando no mesmo dia, geralmente dentro de 30 minutos.
Mas para que isso ocorra também existem algumas limitações: a operação deve ser efetuada em dias úteis e até as 17h.

Contudo, há o custo considerável destas transações (DOC/TED), que hoje variam entre  R$ 4,00 e R$ 20,00 dependendo da instituição financeira, além da necessidade de possuir diversos dados do favorecido.

Sobre o PIX

Em fevereiro de 2020 o Banco Central anunciou o lançamento da marca PIX, juntamente aos critérios e modalidades de participação nesta nova plataforma, com destaque para a agilidade, disponibilidade e ausência de taxas para pessoa física e MEI.
Certamente você ouviu falar sobre o PIX ou até mesmo já cadastrou suas chaves não é?

Os registros das chaves para pessoas físicas e jurídicas iniciaram em 05 de outubro e o novo sistema deve começar a operar no dia 16 de novembro.

Que chaves são essas?

Atualmente, para uma transferência de valores (TED ou DOC) são necessárias diversas informações: número do banco, agência, conta, CPF ou CNPJ e nome do favorecido.
Com o PIX apenas uma chave de identificação será suficiente, elas serão como um “apelido”, que identificarão sua conta no sistema, muito mais simples e rápido!

Pessoas físicas podem criar até cinco chaves PIX por conta e pessoas jurídicas até vinte chaves – também por conta.
Serão quatro opções de chaves PIX, sendo possível registrar mais de um e-mail ou mais de um número de telefone:

  • Número de CPF ou CNPJ;
  • E-mail;
  • Número do celular;
  • Chave aleatória – sem compartilhar dados pessoais (sequência de números, letras e símbolos gerados aleatoriamente).

Lembramos que uma chave PIX registrada em uma conta corrente, não poderá ser registrada novamente em outra, já que ela representa o “endereço” para onde será enviado o dinheiro.
Desta forma, você pode escolher: registrar um número menor para cada conta, ou registrar um número maior de chaves em apenas uma conta, você controla onde e quantas chaves vai registrar.

Por segurança, para vincular cada chave à sua conta bancária, será necessário confirmar sua identidade por meio de um código enviado por SMS ou e-mail.
Fique atento: essa confirmação nunca será por telefone ou por link em e-mail/SMS para evitar fraudes e golpes.

Sou obrigado a cadastrar as chaves?

Não é obrigatório cadastrar uma chave para enviar ou receber dinheiro pelo PIX, mas se o que você deseja é a praticidade, segurança e rapidez e que o PIX tem a lhe oferecer, é melhor cadastrar ao menos uma, pois sem ela será necessário digitar todos os dados bancários para realizar uma transação como atualmente em uma TED ou DOC.

Com o PIX, não importa a hora, nem o dia para recebimentos ou pagamentos

É isso mesmo, o PIX terá disponibilidade total: 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano, a velocidade das transações são quase instantâneas, segundo o BC 50% das transações devem acontecer em até seis segundos e 99% devem ocorrer em no máximo dez segundos.

E os boletos?

A dinâmica de pagamentos via boletos também deverá ser afetada com o PIX, hoje por exemplo, compras on-line efetuadas na modalidade boleto, demoram 1 dia útil para serem efetivadas, utilizando o PIX será instantâneo, gerando muito mais agilidade na efetivação e entrega.

Se você não possuir conta em banco também poderá utilizar o PIX

Instituições financeiras com mais de 500 mil clientes são obrigadas pelo Banco Central a oferecerem o serviço, apesar de ser disponibilizado por elas, o PIX não pertence a nenhum banco ou marca e não será necessário ter conta bancária para utilizá-lo.

Desta forma, as pessoas “desbancarizadas” também poderão utilizar o PIX, basta abastecer a carteira digital do PIX, que segundo o BC, vai funcionar como uma conta digital para enviar e receber o dinheiro, ou até mesmo por outras instituições, como fintechs, sem ter que pagar nada a mais pelo serviço.

As transações terão um limite de valor?

No momento não há um limite de valor definido pelo Banco Central. Mas como já ocorre nas demais transações bancárias, por segurança, as instituições poderão estabelecer um valor máximo para pagamentos e transferências, seguindo os mesmos padrões estabelecidos hoje para operações de TED e DOC, visando diminuir o risco de fraudes.

Vantagens do PIX para sua empresa

Você poderá utilizá-lo como um dos meios de pagamento aceitos na sua empresa, melhorando a experiência dos seus clientes com um modelo de pagamento instantâneo simples, versátil e intuitivo.

O QR Code certamente será uma das ferramentas mais utilizadas pelo varejo, bastará o cliente apontar para o QR Code do seu negócio, confirmar a transação e pronto!
Pagamento recebido e os recursos estarão disponíveis na conta da empresa em poucos segundos!
Ele será uma alternativa às chaves de identificação e terá dois formatos:

  • Estático: poderá ser utilizado quando o valor do pagamento é sempre o mesmo. Por exemplo, quando o produto ou serviço custam sempre R$ 15,00.
  • Dinâmico: quando os valores são variáveis, como em um supermercado por exemplo.

GDOOR e o PIX

Para quem utiliza as soluções GDOOR, haverá a possibilidade, por exemplo, de receber pelo TEF, POS ou solução integrada, onde a captura será feita e repassada ao PDV da GDOOR.

Já estamos trabalhando em uma parceria para disponibilizar recebimentos através do PIX, onde o estabelecimento poderá configurar sua conta bancária e gerar o QR Code direto na tela, que também possibilitará o uso de outras carteiras digitais como mercado pago, já visando a entrada em plataformas E-commerce.

Para você revendedor GDOOR, também será possível efetuar os pagamentos das mensalidades via PIX, gerando mais agilidade na liberação das licenças, com a compensação instantânea!

PIX no Brasil e no mundo.

No Brasil, mais de 900 instituições financeiras já estão cadastradas no sistema (confira a lista completa clicando aqui) e mais de 50 países ao redor do mundo já operam sistemas similares ao do Banco Central, como Índia, Reino Unido e China.

No momento não é possível efetuar transações para o exterior, inicialmente o PIX funcionará apenas em território nacional. Mas, segundo Duarte, diretor do BC, há um projeto de longo prazo para possibilitar este tipo de transação dentre muitas outras funcionalidades que serão anunciadas futuramente.

Além das opções vistas acima, por meio do App, o PIX também terá algumas outras funcionalidades como: compras parceladas, agendamento de pagamentos e também pagamento de boletos de luz e de outras instituições que venham a se associar ao PIX, confira no cronograma:


Confira as novidades da GDOOR em relação ao PIX no vídeo GNEWS_DEV abaixo, com participação de Rodrigo Cantelli – Desenvolvedor e Marcelo Stivanello.